6.8.09

SEF

Assim vai Portugal, meia dúzia vai bem, os outros muito mal...

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras - SEF eclipsou-se em Viseu.
Contrariando a publicidade governamental de que os cidadãos estrangeiros estão a ter um mais alargado serviço e proximidade no seu apoio, a realidade confirma que tais afirmações não passam de meras manobras eleitoralistas, senão vejamos o caso de Viseu.

Cidadão, nacional ou estrangeiro, que se dirija ao balcão do SEF na loja do cidadão, aí encontra a informação de que o atendimento é por marcação e de que deverá ser feita através do número 808202653.

Quem seguir a indicação atrás referida e decidir marcar esse número, depois de lhe aparecer uma voz (gravada) em Português, sem possibilidade de acesso qualquer outra alternativa em termos de língua, recebe a indicação para marcar em número específico o tipo de atendimento pretendido, indicando depois que deverá aguardar para que alguém o atenda. Acontece que ninguém atende.

Mas, se o cidadão, nacional ou estrangeiro, for daqueles teimosos como eu, vai procurar outras formas de contacto, como fiz, indo à webpage do SEF onde recolhi os números 232484962 (destes serviços na loja do cidadão) e o 232467740 (destes serviços na Avenida Alberto Sampaio). Concluí, depois de várias tentativas, que o SEF em Viseu não existe, provavelmente será só despesa para o orçamento geral do estado e para engordar uns tantos boys.

Se tem dúvidas experimente, é um exercício "interessante".

Assim vai Portugal...

4 comentários:

Joshua disse...

Em Lisboa a situação também piora. O SEF fechou nos Restauradores e abriu na LC Odivelas mas agora com horário reduzido e sem sábados mas já se fala em fechar também em Odivelas. Parece que não é rentável...ao contrário da nova sede, claro.
O Call Center funciona mas com um tempo médio de espera de meia hora e qualquer saldo de telemóvel se esgota...
As reclamações são muitas mas como são de cidadãos de segunda "eles que voltem para os seus países" é o que mais se ouve.

Juliana disse...

Meu caro amigo;

Honra-me saber que há gente atenta, como é o seu caso, à problemática da imigração e não só...De facto este novo sistema do SEF é preocupante e vergonhoso! Como é sabido, a maior parte dos imigrantes são pessoas que não falam português quando ingressam no país, deslocam-se ao balcão do SEF para saberem quais são as burocracias que deverão seguir para se legalizarem e a única resposta que recebem é: “Olhe neste momento só é possível dar as informações necessárias se tiver marcação. Pode marcar através destes números: 808 202 653 (rede fixa) / 808 962 690 (rede móvel)” olham para dito papel (acredito que a única coisa que perceberam foi que deviam ligar para esse número) e quando ligam deparam-se com:
1º- São atendidos em Português, sem ter a opção de escolher uma outra língua
2º- Podem passar todo o dia ou vários dias na tentativa de que alguém do outro lado atenda e nada!
Como é possível?
Um serviço desta natureza tem a obrigação mais do que nenhum outro serviço público de ter opção de línguas!
Sou testemunha directa desta problemática pois já aconteceu comigo, não tenho problemas em perceber a língua do povo que me acolheu, mas estive cinco dias a tentar uma marcação e não consegui. Desloquei-me ao balcão do SEF e expus a situação, pedi o livro amarelo e de imediato “arranjaram” um tempinho para me atenderem, tudo isto para não sujar o livro de reclamações. Fiz a papelada toda e depois de ter sido muito amavelmente atendida, pedi o livro amarelo.
Não gosto de trabalhar pelo meu umbigo só, porque o facto de me resolverem o problema não significa que este fique resolvido para os demais imigrantes.
A resposta duma funcionária do SEF quando eu perguntei como fazem as pessoas que não falam português foi: “quando sabem que vão emigrar têm obrigação de aprender a língua do país para onde se vai!”
Vergonhoso! Fiquei indignada e respondi-lhe muitas coisas que não deve ter gostado de ouvir…
Simplex? Para quem?
Não fiquemos de braços cruzados! Lutemos!

jose andrade disse...

Amigo Teles é uma boa denuncia,mas o amigo não pode estar tanto tempo sem dar noticias ou mesmo opinião sobre os acontecimentos recentes da politica,vá lá, faça mais um pequeno esforço.
Já agora dou-lhe uma sugestão,o que achou da última entrevista do camarada J.de Sousa na RTP.

Anónimo disse...

MAIS QUE VERGONHOSO SEF

No primeiro dia quando fui ao SEF, tirei a snha A para pedir informaçoes a cerca dos documentos necessarios para pedir a segunda via do meu titulo de residencia (devido a furto). Nesse mesmo dia efectuei a marcaçao para o dia 17 de Junho de 2011 recebendo uma lista com os documentos necessarios. No dia 17 de Junho 2011 desloquei- me ao SEF com todos os documentos que me foram pedidos. A funcionaria que me atendeu nesse mesmo dia (do primeiro andar) ao verificar os meus documentos, verificou que na participacao da policia faltava os dados de aditamento, pois o numero do titulo da residencia era o antigo e nao o que foi furtado, de modos que efectuou outra marcaçao para o dia 30 de Junho. Nesse mesmo dia perguntei se era necessario o passaporte original, pois tinha o dia marcado na Embaixada da Ucrania para prolongar o passaporte. A funcionaria disse-me que nao era necessario passaporte original, somente as fotocopias do mesmo. Apos ter o papel da policia com o numero do titulo de residencia ja corrigido dirigi-me novamente ao SEF entregando os documentos outra vez. Fui atendida por outra funcionaria, esta ao analisar todos os documentos afirmou que afinal era necessario passaporte original, contradizendo o que a outra funcionaria disse no dia 17 de Junho de 2011. Mais uma vez nao consegui obter a segunda via devido a falta de informaçao correcta/completa da documentacao necessaria para o efeito. Ou seja fui sujeita a mais uma marcaçao para o dia 30 de Junho de 2011, neste dia por acaso tinha o passaporte ja prolongado, pensando eu, que ja nao ia faltar mais nada visto que ja era a quarta vez que me deslocava ao SEF sem obter qualqer resultado. Chegando ao SEF esperei (como nos outros dias) mais de tres horas e meia, pois as horas das marcaçoes nao correspondem a hora que somos respectivamente atendidos. Afinal mais uma vez a funcionaria (que tambem ja nao era a mesma) informou-nos que ainda faltava o registo criminal, explicando que cada renovacao/prolongaçao do passaporte, a base de dados pede automaticamente o registo criminal da pessoa em questao, o que a funcionaria do dia anterior podia ter verificado atravez da base de dados e do numero do passaporte e nao o fez.Sendo eu submetida a mais uma marcaçao para o dia 18 de Julho de 2011, no qual finalmente paguei a segunda via entregando o suposto "ultimo" documento (registo criminal) e que ja devia ter sida informada nas outras quatro marcacoes anteriores, o que demonstra a irresponsabilidade do SEF e falta de profissionalismo dos funcionarios. Em suma, fui afectada moralmente, psicologicamente, financeiramente, pois devido a nao ter o titulo de residencia atempadamente perdi um emprego encontrando-me neste momento desempregada desnecessariamente, por causa dos atrasos e falta de responsabilidade na informacao necessaria para a obtençao do documento em questao. E mais, um Cidadão nacional ou estrangeiro, que se dirija ao SEF , aí encontra a informação em que possa efectuar o atendimento por marcação e que podera ser feita através do número 808202653(rede fixa)e 808962690(rede movel).
Quem seguir a indicação atrás referida e decidir marcar esse número, depois de lhe aparecer uma voz (gravada) em Português, sem possibilidade de acesso qualquer outra alternativa em termos de língua, recebe a indicação para marcar um número específico o tipo de atendimento pretendido, indicando depois que deverá aguardar para que alguém o atenda. Acontece que ninguém atende. Mais uma vez prejudicando o cidadao. Neste caso eu, que liguei varias vezes para os dois numeros indicados acima indicados e sem qualquer resposta, perdendo o tempo e dinheiro.
Agora estou a espera os tais 60 dias que estao a terminar para receber o documento para em seguida pedir o livro de reclamaçoes e por esta queixa direitinha la!

2011/19/08
ASS, Alona