3.5.09

MINEIROS E MINAS



Sempre tive consciência de que o trabalho em qualquer exploração mineira, seja ela a céu aberto como no subsolo era muito pesado, era muito violento.

Durante muitos anos tive contactos privilegiados com trabalhadores da Empresa Nacional de Urânio – ENU, quer com os que desenvolviam a sua actividade no fundo da mina (no caso da Urgeiriça), quer com os que trabalhavam a “céu aberto” (no caso da Cunha Baixa) e ainda com operários das lavarias, geólogos e outros técnicos dessa imensa massa de “formigas” que compõem uma exploração mineira.

Mais recentemente tenho conhecido a realidade das explorações de sal em Loulé e Mata do Carriço, de cobre e zinco na Somincor em Castro Verde, de tungstênio ou volfrâmio em Panasqueira, de (sabe-se lá do quê) nas Pirites Alentejanas em Aljustrel.

Fotos de Sebastião Salgado na sua colectânea sobre o trabalho (publicada pela editorial caminho) dão-nos mostra de como pelo mundo, este tipo de trabalho, em pleno século XX, é penoso e inaceitável.

Conhecemos histórias das múltiplas doenças profissionais a que estes trabalhadores foram e estão sujeitos, sabemos e apoiamos a luta que familiares e trabalhadores da ex- ENU têm vindo a levar a cabo - (já mais que uma vez tratada neste blogue). Todos damos conta, quem lida com mineiros, que estes homens nos parecem sempre mais velhos que a idade que efectivamente têm.

É tempo de olhar para estes profissionais e profissão com outros olhos, com outra responsabilidade e justiça.

Impõem-se melhores salários, a integração nos salários dos múltiplos prémios que o patronato usa e abusa para condicionar os trabalhadores, melhores meios de protecção, higiene e segurança no trabalho, maior e mais adequada fiscalização das condições de trabalho (na mina) por parte da Autoridade para as Condições de Trabalho – ACT, mais e melhor formação profissional.

Antecipar, ainda mais e com maior abrangência, o tempo de trabalho para efeitos de reforma (por inteiro) deverá ser uma reivindicação dos trabalhadores mineiros que deve ser assumida pelos deputados na Assembleia da República.

A título de curiosidade deixo-vos algumas fotos de uma mina em Portugal.



(local da "bucha" telef.emergência e primeiros socorros) - ( Transporte para o fundo da mina)



(restos exoplosivos)




3 comentários:

Pedro Bala disse...

Bom blogue, camarada. Saudações da Rádio Moscovo.

Abraço!

Bruno

Anónimo disse...

Só de ver as imagens das minas, me arrepio e o transporte de facto é um luxo aquela viatura, quase transporte de gado só faltam as argolas. É um facto conheço alguns mineiros da Urgeiriça que são bem o retrato de velho precoce. A propósito na VIII Ass. Org. Viseu do PCP, o camarada Jerónimo falou da luta dos mineiros num excerto de prosa do melhor. A delegação dos mineiros e alguns mineiros militantes presentes ficaram de facto sensibilizados dois da delegação pura e simplesmente choraram, como estava na mesa pude ver como estavam comovidos, como me conhecem quando olhei para eles cuzaram as duas mãos em sinal de agradecimento como se nos cumprimentassem a todos. Uf já está, estava dificil. Mas por outro lado o amigo cuco do costume impávido e sereno nem um sinal, o que quer é holofotes, de facto o resquicio que tinha vedeu à um bom par de anos, tu sabes.
Vê lá camarada vê lá
Vê lá como venho eu
Trago lá camisa rota
e sangue de um camarada
Vê lá ....
Isto vai camaradas isto vai
Balta

Anónimo disse...

Muito padece quem ama
Mais padece quem NAMORA
...
Está triste a madrinha e a filha da madrinha, lá na terra do teatro da Luisa .... Todi não é?
Está mau isto está está!
Se a moda pega, fica pior fica fica!.
Balta