20.4.09

Desemprego

Enquadrado num conjunto de iniciativas que a CGTP levou a efeito, teve lugar no passado dia 4 de Abril, em Guimarães, uma grandiosa manifestação de denúncia e repúdio das políticas que o governo do PS/Sócrates teima em prosseguir, alheio às desastrosas consequências que a cada dia se agravam e levam o país para o abismo económico e social.

Milhares de trabalhadores e muitos desempregados participaram nesta iniciativa com o sentimento que semelhante situação lhes pode bater à porta a qualquer momento.

A manifestação, apelidada de “marcha contra o desemprego”, decorreu entre Pevidém e Guimarães tendo culminado num Jardim da cidade berço onde, de entre outros, usaram da palavra Carvalho da Silva em nome da CGTP, Adão Mendes da União dos Sindicatos de Braga e Maria Ondina da Direcção Nacional do Movimento dos Trabalhadores Desempregados – MTD.

Numa manifestação de apoio aos militantes que percorreram os 7 km da marcha, o Partido Comunista Português fez-se representar por vários dos seus dirigentes, alguns deles deputados no Parlamento Nacional e Europeu.

No decorrer da marcha tive oportunidade de trocar opiniões com vários manifestantes tendo-me sido descritas as mais complexas situações sociais que se vivem naquela região tão sacrificada. Contudo, também tive oportunidade de constatar a confiança de muitos, de que vale a pena lutar por um outro país, com outra política ao serviço dos trabalhadores.

O MTD, que foi co-promotor da iniciativa, goza já de grande prestígio por terras minhotas e a sua dirigente mais destacada, na intervenção que proferiu na iniciativa realçou o facto de este movimento se assumir como mais um instrumento organizativo dos trabalhadores para a dinamização da luta em sua defesa.




(destacados dirigentes do MTD definindo estratégias - da esquerda para a direita, Manuel Bravo - Presidente, Maria Ondina da Direcção Nacional e da Direcção Regional de Braga e Luis Leitão - Vice Presidente)

1 comentário:

Anónimo disse...

A Ondina conheço salvo erro é de Amares, estive com ela em Vieira do Minho numa iniciativa unitária sobre floresta, estava ela e umcamarada também de Amares não lembro o nome mas era loiro. Falámos sobre o MTD e do que estava em preparação, boa gente pareceu.
Balta